Pesquisas realizadas nas duas últimas décadas contribuíram muito para uma melhor compreensão dos benefícios do aleitamento materno para a criança e para a mulher. A relevância dos achados levou a mudanças substanciais nas recomendações para políticas públicas. Muitos estudos também têm sido realizados com o objetivo de avaliar quais intervenções seriam mais efetivas para um aumento das práticas de amamentação.
Foi evidenciado que a amamentação auxilia na saúde física, psicológica e emocional da mãe, diminuindo o risco de depressão pós parto. O vínculo emocional da amamentação é tão grande que sua auto estima é elevada e a amamentação se torna motivo de orgulho. A mãe que amamenta sente-se realizada como mulher, estabiliza relação profunda com seu filho: afeto e dependência, sente satisfação por dar algo de si: leite bom e fresco.

Ver mais...
Especialista ensina como diferenciar...| Rede Mães de Minas

Logo após o parto, é comum algumas mães apresentarem sinais de tristeza. Segundo o obstetra Ricardo Cabral, colaborador do site Rede Mães de Minas, cerca de 80% das mulheres que dão à luz sofrem alterações de humor, ficam mais introspectivas, chorosas e têm dificuldade de lidar com a dor, ficam de luto pela perda da barriga e não se sentem à vontade com a ideia de ver o bebê passar de colo em colo. Esse quadro, que não incapacita o convívio social, é conhecido como blues pós-parto ou tristeza pós-parto. E normalmente dura até duas ou três semanas depois do nascimento do bebê. Ele é originado pela grande quantidade de hormônios e pela mudança de realidade na vida da mulher. “Alguns dias, uma boa conversa com o seu médico e sua família e fica tudo bem”, destaca Cabral.

Ver mais...
©  NiDerLander  | Istockphoto.com

Temos um texto específico sobre todas as vantagens da amamentação, tanto para a mãe como para o filhote.
Hoje apresentamos mais um ponto de vantagem para a saúde da mãe: parece que períodos de amamentação mais longos diminuem o risco de você sofrer de câncer do ovário. Isso foi o que concluiu D. Su e seus colegas, na Austrália.
Neste estudo, os autores fizeram os seguintes achados:

Ver mais...
Leite materno e AIDS | Rede Mães de Minas

Uma nova pesquisa feita nos Estados Unidos pode permitir que as mães soropositivas amamentem seus filhos no futuro.
Especialistas da Universidade da Carolina do Norte descobriram que ratos alimentados com leite materno, misturado ao vírus da AIDS, não eram infectados.
Os resultados mostram que o leite materno tem a

Ver mais...

Recomenda-se que todos os bebês sejam amamentados exclusivamente logo desde o nascimento até aos 6 meses e que prolonguem o leite materno até aos 24 meses. No entanto tem várias razões que levam as mamães a desistir e introduzir leites de fórmulas e/ou leite de vaca mais cedo que o recomendado.

Uma dessas razões é acharem que o bebê não mama corretamente e que não se alimenta o

Ver mais...
Direitos da mãe que amamenta | Rede Mães de Minas

Quando termina a licença maternidade e você tem que voltar ao trabalho, ainda pode continuar a amamentar seu filho, confira os seu direitos!!
A legislação brasileira ( CLT- Consolidação das Leis de Trabalho – Art. 396 ) garante que para amamentar o próprio filho, até que este complete seis meses de idade, a mulher tem direito, durante a jornada de trabalho, a dois descansos especiais, de meia hora cada um. Quando a saúde do filho exigir o período de seis meses poderá ser aumentado.

Ver mais...
Amamentação alivia dor dos bebês? | Rede Mães de Minas

Amamentação alivia sim a dor dos bebês! Diversos estudos nacionais e internacionais já demonstraram que os recém nascidos que foram submetidos a procedimentos dolorosos (vacinação, coleta de sangue, teste do pezinho) enquanto estavam sendo amamentados

Ver mais...
Como tirar e armazenar o leite materno? | Rede Mães de Minas

Se a mamãe que está amamentando precisa sair para trabalhar ou por qualquer outro motivo, pode tirar o seu leite e armazenar para ser oferecido ao bebê!
A palavra “ordenhar” pode parcer estranha ao falar de leite materno e de tirar o leite da sua mama, mas é isso mesmo que se faz: ordenha-se a mama manualmente ou com bombas próprias (que podem ser manuais ou elétricas).

Ver mais...
última atualização: segunda-feira, 9 de novembro de 2015 11:50:59