Como prevenir doenças transmitidas por alimentos?

© Rede Mães de Minas

As doenças transmitidas por alimentos (DTA) são causas pela ingestão de alimentos ou bebidas contaminadas.

Podem ser infecções causadas por bactérias (ou suas toxinas), vírus e parasitas, envenenamento por toxinas naturais (ex. cogumelos venenosos) ou produtos químicos que contaminam o alimento.

Este é um assunto muito sério de saúde pública e tem sido um motivo de grande preocupação, pelo grande número de pessoas que afeta e pelo número maior ainda de casos que podem ficar por diagnosticar!

Nos Estados Unidos da América estima-se que as DTA afetem, por ano, cerca de 800.000 crianças com menos de 10 anos de idade.

No Brasil apenas é feita a vigilância de surtos de DTA (surto é o caso de duas ou mais pessoas apresentam doença semelhante após ingerir um alimento ou bebida com a mesma origem)  e não de casos individuais (exceto cólera, febre tifóide e botulismo) e há um registro médio de 665 surtos por ano, com 13 mil doentes.

Todo mundo está susceptível a ter uma DTA, mas bebês e crianças são um grupo de risco para estas doenças. E porquê? Porque o sistema imune das crianças (sistema protetor do organismo) ainda não está totalmente desenvolvido e está maturando, aí se algum microorganismo chega no intestino vai conseguir causar doença. Esta imaturidade do seu bebê vai fazer dele muito mais vulnerável a uma DTA do que você!

É por esta razão que é muito importante ter cuidados extra na preparação e armazenamento da comidinha dele! Tenha atenção que mesmo amamentando, seu bebê pode sofrer de DTA, caso você não tenha alguns cuidados com: suas mãos, a extração e armazenamento do leite, são alguns pontos de contaminação com que você tem de ter cuidado.

No geral, você deve ter sempre em mente:

  • Lave sempre suas mãos corretamente – elas podem ser contaminados de várias formas e é importante lavar sempre para não passar essas bactérias para o bebê! Nunca é demais lembrar que deve lavar suas mãos sempre que vai no banheiro, depois que trocar a fralda e sempre que prepara qualquer alimento (antes, durante e no final de qualquer preparação). Para saber como lavar as mãos veja o cartaz da ANVISA aqui;
  • Ensine seu filhote, desde cedo, como e quando lavar as mãos dele.
  • Se seu bebê tiver algum destes sintomas: diarréia com sangue, febre prolongada e muito alta, não toma fluidos, não é capaz de manter nenhum alimento no estômago devido ao vômito mais vale prevenir e levar ele ao médico – pode ser que seja uma DTA.

Se ainda está amamentando mas não pode dar a mama e precisa extrair seu leite e depois armazenar (veja como aqui) você deve ter alguns cuidados, para que a qualidade do leite materno seja mantida:

  • Tempo de armazenamento do seu leite na geladeira: 24hrs. Se não for utilizar esse leite nas próximas 24 hrs você pode congelar no freezer.
  • Tempo de armazenamento do seu leite no freezer: 4 meses, a -18º (não esqueça de colocar a data de extração do leite).
  • Coloque sempre o leite no fundo da geladeira ou freezer e não na porta, pois a porta é o local que perde mais frio na abertura das portas.

Para a preparação e manipulação dos alimentos para o seu bebê você deve:

  • Mantenha sempre a superfície de preparação dos alimentos limpa e livre de contaminação com outros alimentos.
  • Seguir as instruções e recomendações do fabricantes para a preparação das mamadeiras antes de encher com leite materno ou fórmula láctea.
  • Lavar e esterilizar corretamente a mamadeira e todos os utensílios que estejam em contato direto com o alimento do bebê
  • Transporte a mamadeira e a papinha em bolsas térmicas, quando estiver viajando com o bebê – os alimentos ou leite que estejam fora da geladeira sem estarem protegidos por estas bolsas mais de 2 horas devem ser descartados – e coloque a bolsa térmica no local mais fresco que encontrar (por exemplo, em viagens de carro, o local mais fresco é a mala)
  • Se a viagem for muito longa ou se o calor for muito, além da bolsa térmica, coloque bolsas de gelo em contato com o leite ou papinha.
  • As papinhas feitas em casa devem ser conservadas no freezer, e separadas em doses separadas e individuais, e com data. Depois de 3 meses se ainda estiver no freezer descarte essa preparação.
  • Prepare apenas a quantidade de fórmula láctea que vai precisar – se apenas preparar a quantidade de fórmula que seu bebê toma, vai diminuir a chance de contaminação.
  • A fórmula láctea não deve ser congelada ou colocada no freezer.
  • Se a fórmula for de pó prepare imediatamente antes de dar para o seu bebê.
  • Se o bebê não tomar toda a preparação, descartar o que sobrou! Não guarde leite de sobra nem volte a aquecer.
  • Não dê a papinha diretamente do frasco ou da panela. Se preparou mais papinha do que aquela que seu bebê vai comer, separe a quantidade que ele vai comer e guarde o restante na geladeira. Se sobrar comida do prato, jogue no lixo.

Existem alguns alimentos que podem proporcionar maior risco para os bebês e/ou crianças. Desta forma, tome nota:

  • Não dê para ele mel de jeito nenhum – o mel pode estar contaminado com uma bactéria (Clostridium botulinum) e provocar doenças muito sérias, podendo levar à morte.
  • Apenas dê leite pasteurizado – leite cru pode conter bactérias perigosas para crianças.
  • Não deixe a fórmula látea na temperatura ambiente mais de 2 horas. Se isso acontecer descarte.
  • Não coloque fralda suja junto no mesmo saco com mamadeiras ou papinhas – microorganismos que estejam no coco podem passar para a mamadeira e contaminar.

Para aquecer o leite materno ou a fórmula existem duas formas:

  1. Colocar a mamadeira com já com o leite por baixo da torneira, deixar correr água quente, e retirar depois que ficar na temperatura desejada (deve demorar em torno de uns 2 minutos).
  2. Aquecer água numa panela. Depois de a água estar quente, retirar a panela do lume e colocar a mamadeira com o leite dentro da panela e esperar que aqueça.

O aquecimento em microondas é perigoso para o bebê, porque o leite (ou a papinha) não aquece de igual forma por toda a parte. Isso pode resultar de “pontos quentes” que podem resultar em queimaduras na boca e garganta do seu filhote!
Depois de aquecido, antes de dar para o bebê, derrube umas gotinhas de leite sobre o dorso da mão e verifique se a temperatura está adequada.

Publicado em 1 de outubro de 2012 / Atualizado em 7 de outubro de 2013

Food - Once Baby Arrives. FDA. Retrieved from: FDA

Redmon, E., & Griffith, C. (2009). The importance of hygiene in the domestic kitchen: implications for preparation and storage of food and infant formula. Perspect Public Health.

Turck, D. (2012). Safety Aspects in Preparation and Handling of Infant Food. Annals Nutrition and Metabolism.

Ministério da Saúde, B. Doenças transmitidas por alimentos. Retrieved from: Portal.saude.gov.br

World Health Organization (WHO). Food safety - 5 keys to safer food. Retrieved from: WHO

Veja o que a nossa comunidade está dizendo sobre este tema e comente! Comentar