Como saber que pode estar grávida? Os primeiros sintomas.

A gravidez é um dos períodos críticos de transição, que demanda mudanças no papel social, reajustamentos pessoais e variadas adaptações físicas e emocionais.

A suspeita de gravidez existe quando a mulher apresenta um leque de manifestações clínicas que serão descritas abaixo.

Antes de seguirmos, é importante salientar que os sintomas de gravidez não são os mesmos para todas as mulheres. Na verdade, a mesma mãe pode ter sinais e sintomas completamente diferentes entre duas gravidezes distintas. Os sintomas da gravidez também podem variar em sua intensidade, frequência e duração.

Uma vez fecundado o óvulo por um espermatozoide, o agora embrião percorre as trompas e se implanta na parede do útero após 6 a 12 dias. Esta implantação pode causar um pequeno sangramento uterino, que muitas vezes é confundido com uma menstruação que está para chegar. Cerca de 10% das grávidas apresentam algum sangramento vaginal nas primeiras semanas de gestação, às vezes sendo necessário o uso de um absorvente.

Como esse sangramento costuma ocorrer próximo ao período em que a menstruação é esperada, algumas mulheres o tratam como uma menstruação que veio fraca.

Além de um sangramento leve, a gravidez inicial pode causar algum desconforto na parte inferior do abdômen, às vezes uma sensação de inchaço na barriga, mimetizando os sintomas que surgem dias antes da menstruação.

É comum também uma sensação de peso na parte inferior do ventre. Este incômodo quando associado a um sangramento vaginal dias depois, pode muito bem enganar as grávidas, fazendo-as pensar que menstruaram.

Atenção: tanto as cólicas quanto o sangramento vaginal nas fases inicias da gravidez costumam ser muito menos intensos do que aqueles que ocorrem na menstruação de verdade.

É importante ressaltar que a menstruação pode atrasar por vários outros motivos que não uma gravidez, entre eles, estresse, infecções, troca de anticoncepcional, alterações o peso, cansaço… A própria expectativa pela menstruação, quando a mulher não quer de jeito nenhum engravidar, mas se descuidou tendo relações sexuais desprotegidas, pode causar um atraso menstrual.

A ausência de sangramento é um dos principais sintomas e sinais de gravidez, mas que podem vir acompanhados de outros como:

  • alterações nas mamas – no início da gravidez as mamas aumentam de tamanho e consistência, e muitas mulheres tem uma sensação de formigamento, de tensão e de plenitude. As mamas podem ficar tão sensíveis que mesmo um leve toque é dolorido. Os mamilos ficam maiores e mais proeminentes e, junto com as aréolas, ficam mais escuros. As veias superficiais ficam mais evidentes. Se, além desses sintomas, for possível espremer um líquido amarelo– pálido dos mamilos de uma mulher que nunca tenha tido filhos, poder-se-á suspeitar fortemente de gravidez;
  • náuseas e vômitos –  o “enjoo matinal”, como o nome sugere, são as náuseas, às vezes acompanhadas de vômitos, que muitas mulheres grávidas têm ao levantar-se pela manhã. Varia em severidade desde uma crise leve quando a mulher ergue a cabeça pela primeira vez, há recidivas repetidas e severas durante o dia, e mesmo à noite. A náusea matinal que dura apenas algumas horas, usualmente ocorre diariamente cerca de seis semanas e depois desaparece gradualmente. O enjoo matinal pode começar imediatamente depois da concepção, mas, via de regra, começa a partir da sexta semana de gravidez e continua até o terceiro ou quarto mês. Ocorre em cerca de metade das gestações, e é particularmente comum entre mulheres grávidas pela primeira vez;
  • polaciúria – há normalmente um desejo de urinar com frequência nos primeiros três ou quatro meses de gestação após o que a tendência desaparece, retornando porém nos meses finais. A frequência urinária é causada principalmente pela redução da capacidade da bexiga devido à compressão exercida sobre ela pelo útero em crescimento enquanto os dois órgãos permanecem dentro dos limites rígidos da pelve óssea;
  • fadiga – existe uma boa razão para você se sentir extremamente exausta durante o início da gravidez. O corpo está muito mais ocupado do que o usual. Está produzindo hormônios, incluindo progesterona, que naturalmente deprime o sistema nervoso central e causa tonteira. E o volume e fluxo de sangue também aumentam, fazendo com que o coração bombeie sangue de maneira mais forte e mais rápida. O aumento do volume de sangue pode acabar gerando dores de cabeça durante as primeiras semanas da gravidez;
  • desejos por alimentos – às vezes surge uma vontade incontrolável de comer algum alimento motivado por variações bruscas nos níveis hormonais;
  • tonturas e desmaios – podem ser ocasionados por redução da glicemia ou devido à diminuição da pressão sanguínea;
  • outros sinais e sintomas – o aumento da descoloração das áreas pigmentadas da pele e o aparecimento de estrias abdominais são outros sinais presuntivos. O sinal de Chadwick, o aspecto púrpuro ou azul-escuro da mucosa vulvar e vaginal, que resulta do grande aumento da vascularidade, é outro sinal precoce de gravidez.

Os sinais e sintomas descritos acima sugerem a existência de uma gravidez, mas de modo algum servem para confirmar ou descartar uma gestação. Algumas mulheres apresentam apenas um ou dois sintomas iniciais de gravidez, enquanto outras podem apresentar todos os sintomas descritos acima. O diagnóstico definitivo, porém só é obtido com a dosagem do BhCG sanguíneo.

Portanto ao apresentar um ou mais desses sinais e sintomas o importante é fazer um teste de gravidez.

Detectada a gravidez procure um médico para realizar uma avaliação completa e realizar as consultas pré- natais e parabéns futura mamãe!!!

Publicado em 1 de outubro de 2012 / Atualizado em 24 de maio de 2013

Correia D., Santos L., Calheiros A., Vieira M. (2011). Adolescentes grávidas: sinais, sintomas, intercorrências e presença de estresse. Retrieved from: Scielo.br

Silva J., Silva G., Lopes R. (2010). A importância das orientações no pré-natal: o que deve ser trabalhado pelos profissionais e a realidade encontrada. Retrieved from: Conhecer.org.br

Pinheiro P. (2012). Primeiros sintomas de gravidez. Retrieved from: Md.saude.com

Veja o que a nossa comunidade está dizendo sobre este tema e comente! Comentar