Dormência nas mãos e pés

Texto de opinião

A gravidez é um fenômeno fisiológico, em que ocorrem adaptações a nível de todo o corpo e organismo. As alterações que ocorrem provocam o “amolecimento” das articulações, o aumento do volume sanguíneo e alterações na pressão sanguínea, no centro de gravidade da gestante e muitos outros efeitos ao longo da gestação.

Uma das queixas e preocupações das mamães é quando sentem os braços ou pernas dormentes, pensando que possa ser um “mau sintoma”. No entanto, há múltiplas causas para a sensação de dormência nos membros na gravidez:

© Choramingas.pt

© Choramingas.pt

  • o crescimento do bebê e do útero comprimem os vasos sanguíneos localizados na região pélvica (bacia) e a circulação fica, assim, comprometida – o sangue que está nos pés e pernas, ao retornar ao coração, encontra resistência pela compressão do útero aumentado sobre os vasos localizados na região pélvica, assim há um extravasamento de líquido pelas paredes dos vasos, causando inchaço dos pés e pernas e edema dos tecidos à volta dos nervos resultando em formigueiro, dormência ou até mesmo dor;
  • a compressão dos nervos pélvicos, na bacia, também provoca sensações semelhantes;
  • com o aumento de peso da grávida, o aumento da pressão sobre a coluna vertebral e o já referido deslocamento do centro de gravidade para frente, com as consequentes alterações de postura, podem, por si só, ser responsáveis pela sensação de dormência (e até de dor) e de fraqueza dos membros superiores;
  • a retenção de líquidos com edema dos nervos periféricos,  pode, também, aumentar a pressão dentro do espaço estreito e pouco flexível no túnel cárpico situado no punho, comprimindo o nervo mediano e  provocando dormência, formigamento e dor na mão (nestes casos, a dormência situa-se, em particular, no polegar e nos dois primeiros dedos) – este quadro denomina-se Síndrome do Túnel Cárpico;
  • há muitos outros motivos que podem provocar os mesmos sintomas como a deficiência de alguns nutrientes, tais como a carência de magnésio e deficiência de ferro (anemia).

Apesar de ser uma situação comum, quando sente dormência nos membros – ou qualquer outro sintoma durante a gravidez – deve alertar o seu médico. O médico irá averiguar, através das análises laboratoriais, o motivo do aparecimento destes sinais e sintomas.

Quando a causa é alimentar deverá ser reforçada a ingestão de alimentos ricos em minerais para além do sulfato ferroso que a grávida toma por rotina, podendo até ser vantajoso visitar o nutricionista. Por outro lado, poderá ser necessário a diminuição da ingestão de sal e alimentos salgados.

Para atenuar os referidos sinais e sintomas, recomenda-se:

  • Descansar as mãos durante o dia – se as usa para digitar, deve colocar um apoio no punho evitando a posição em ângulo;
  • Aplicar compressas frias pode aliviar o desconforto;
  • Usar uma tala própria, com prescrição médica;
  • Elevar as mãos mesmo quando repousa ou dorme;
  • Sacudir as mãos pode aliviar a tensão;
  • Usar sapatos largos de preferência um número acima do habitual;
  • Usar meias de descanso apesar do calor;
  • Evitar períodos longos tanto sentada quanto de pé;
  • Fazer caminhadas serenas;
  • Elevar a parte inferior do leito;
  • Fazer hidroginástica pode atenuar os sintomas;
  • Evitar ambientes quentes e a exposição ao sol;
  • Vigiar a compressão dos anéis e retirá-los caso provoquem compressão.

Quando os sintomas são mais intensos, poderá ser indicado consultar um fisioterapeuta. Há situações em que o médico poderá indicar e justificar a mudança de função laboral ou até obter uma licença.

Se os edemas aumentarem rapidamente e forem generalizados, a grávida deve comunicar rapidamente ao seu médico porque pode estar na presença de Diabetes Gestacional.

A maioria das situações referidas é temporária e transitória desaparecendo uns dias após o parto. Se persistirem, poderão vir a ter que ser medicadas com cortisona, anti-inflamatórios (inconvenientes na gravidez) ou até recorrer à cirurgia de acordo com prescrição médica.

 

Publicado em 10 de janeiro de 2014 / Atualizado em 14 de maio de 2014

Veja o que a nossa comunidade está dizendo sobre este tema e comente! Comentar