Teste do Coraçãozinho

Várias doenças podem passar despercebidas no exame da maternidade.

Muitas vezes a criança nasce aparentemente sem problemas, mas no final de uma semana ou um mês de vida apresenta problemas que sugerem uma doença cardíaca congênita (presente desde o nascimento), muitas vezes grave.

Auscultar o coração do bebê pode não ser o bastante. Muitos bebês que têm problemas cardíacos graves recebem alta das maternidades sem o diagnóstico. Existe uma maneira de descobri-los no berçário com o teste do coraçãozinho.
Aproximadamente em cada mil recém-nascidos vivos até dois apresentam doenças cardíacas que podem ser diagnosticadas através do exame.
O Teste do Coraçãozinho é realizado com um aparelho, o oxímetro, para medir a oxigenação do sangue na mão e no pé do bebê entre 24 e 48 horas de vida, antes da alta hospitalar.

Se a taxa de oxigênio estiver abaixo de 95%, isso pode indicar a presença de alguma alteração, e o bebê será encaminhado para uma avaliação mais detalhada.

Trata-se de um exame simples, indolor, rápido, que já é obrigatório em alguns estados, mas não há ainda uma legislação federal. Em Belo Horizonte o teste é obrigatório em todos os hospitais públicos ou privados desde 2012.

Publicado em 25 de setembro de 2013

Em.com.br

Departamentos de Cardiologia e Neonatologia da SBP. Diagnóstico precoce de cardiopatia congênita crítica: oximetria de pulso como ferramenta de triagem neonatal. 7/11/2011. Retrieved from: Sbp.com.br

Veja o que a nossa comunidade está dizendo sobre este tema e comente! Comentar